Rádio Campo Maior AM
Canudos FM
SM Publicidade
Fundação Canudos
Quixeramobim
Fale Conosco
Você concorda com o aumento no número de vereadores em Quixeramobim nas eleições de 2020?




 
Quarta-feira, 23 de agosto de 2017.
Clique aqui para ouvir nosso Jingle
No ar: Forrozão da Canudos
No ar: Saudades do Meu Sertão
 
 
 

João Eudes Costa
Escritor, cronista e membro da Academia Quixadaense de Letras (AQL).


 

"Quero viver"
   
Apesar da violência e de toda espécie da maldade que envolve o mundo, gerando um ambiente de insegurança e medo, quero viver por muito tempo, porque encontro o abrigo, a defesa e o incentivo no amor que ainda existe no coração das pessoas que nos cercam.

Quero viver para sentir a beleza da natureza e a carícia suave do vento. Apreciar o romper da aurora, o nascer de nova luz, mostrando outros caminhos, renascendo esperanças para prosseguir na luta. Não devo morrer ao sentir o sopro do vento morno do desengano, trazendo a fúria dos que agridem, assaltam e matam, tingindo o mundo com o negrume da crueldade.

Quero viver para sentir a grandeza das almas humildes, dos que renunciam em benefício da felicidade dos outros, dos que acreditam na força da doação. Não devo morrer porque a prepotência supera o direito, a falsidade impera, fomentando a guerra fratricida.

Quero viver para beber a água cristalina, descida do céu, que corre pelos riachos, que se enroscam, como cobras pelas veredas do sertão. Não devo morrer porque as águas são poluídas pelo progresso, que nos tira o ar, a tranqüilidade e a própria vida.

Quero viver para abraçar os que me amam, beijar os que me querem e me apoiar no ombro amigo dos que me acolhem em seus corações. Não devo morrer porque encontro o ódio, o desdém e me negam um bastão amigo, onde possa apoiar a minha fraqueza.

Quero viver para experimentar o calor da sincera amizade, a energia do abraço afetuoso, o sorriso e o apoio dos que se alegram com as minhas vitórias. Não devo morrer porque os delatores nos traem quando nos beijam e os facínoras nos apunhalam quando nos abraçam.

Quero viver pela fantasia das noites claras, vendo o galopar das nuvens e o namoro das estrelas. Não devo morrer porque a escuridão acoberta, com o seu manto negro, o fantasma da violência e do crime.

Quero viver para acariciar a criança feliz, brincar com a sua inocência e aprender a gostar das coisas simples. Construir castelos de areia e acreditar que tudo é verdade. Não devo morrer porque vejo crianças infelizes, mergulhadas na podridão das drogas e do crime, sem lar, sem rumo e sem destino.

Quero viver para dormir o sono tranqüilo, pastorado pela paz das boas ações. Sem temer a violência, na serenidade da proteção de Deus. Não devo morrer quando não consigo conciliar o sono porque o remorso cobra alto preço pelo bem que deixei de fazer.

Quero viver para repassar a infância, procurar minhas pegadas por antigos caminhos e não deixar desaparecer aquele menino de alma pura, que mora no âmago de meu coração. Não devo morrer porque não sou mais o menino ingênuo, despreocupado e feliz.

Quero viver para penetrar no sertão, repousar à sombra da oiticica, ser acolhido pela simplicidade da casa de taipa e me sentar à mesa farta de amor do bravo homem do campo. Não devo morrer porque mutilaram o sertão, expulsaram seus moradores, enganaram a sua boa fé e os amarraram, a fim de chicoteá-los até a morte.

Quero viver para apreciar o vigor, a alegria e a esperança da juventude que sonha e merece um mundo de paz, tranqüilidade e amor. Juventude que deve ter liberdade, consciência de seu valor e fé no futuro risonho que a espera. Não devo morrer, mesmo sabendo que minha juventude já é passada e a velhice é um futuro que se aproxima.

Quero viver, e viver muito, porque tenho muita fé no amor que possuo, ele me faz forte, sempre alegre e jovem. No dia em que esta carcaça envelhecer e tropeçar em insignificantes obstáculos, dentro de mim, haverá um jovem robusto e sorridente que acolherá o velhinho com afeto, deitando-o no berço macio do amor, mostrando que viver, afinal, vale a pena.

  imprimir
enviar para um amigo 
voltar
Outros Artigos:
 
 
 
 
Sistema Maior de Comunicação
Rua Monsenhor Salviano Pinto, 507 – Centro CEP 63800-000 Quixeramobim – CE
Fones: (88) 3441.0263 / 3441.1178 Fax: (88) 3441.1209 - E - mail: contatomaior@sistemamaior.com.br
Copyright © 2006-2017  - Todos os direitos reservados