Rádio Campo Maior AM
Canudos FM
SM Publicidade
Fundação Canudos
Quixeramobim
Fale Conosco
Você concorda com o aumento no número de vereadores em Quixeramobim nas eleições de 2020?




 
Sábado, 18 de novembro de 2017.
Clique aqui para ouvir nosso Jingle
No ar: Manhã 106
No ar: Sábado é Show
 
 
23/09/2009
Começar a Democracia pelo Cidadão

Em momento em que Quixeramobim vivencia espaços práticos de debate, como nos Debates do Sistema Maior, Wherbty Ribeiro, aluno do Ponto de Cultura “Patrimônio Vivo”, faz uma digressão sobre a trajetória de construção da democracia, chamando a atenção para o uso dela nos dias atuais.   

Nascida na Grécia antiga, a Democracia que conhecemos hoje sofreu bastantes modificações. Mesmos os gregos tiveram de melhorar esse sistema que no seu início mais excluía do que integrava as pessoas dos acontecimentos de interesse social. Somente os que faziam parte da Aristocracia grega é que tinham liberdade do ato eleitoral, pela divisão dos poderes e pelo controle da autoridade, de decisão e de execução das leis. Após mudanças nessa classe isso mudou, sendo que todos passaram a buscar essa liberdade e começou-se a democracia propriamente dita.

A Democracia é um poder, e um poder forte que não pode ficar nas mãos de poucos, é um sistema que exclui e inclui, e quem decide se vai trazer cada vez mais as pessoas para a alienação política ou aumentar o desinteresse das mesmas sobre as questões sociais é aquele que, como a democracia, surgiu na Grécia e tem um papel importantíssimo para a melhoria do meio, o Cidadão. A construção desse se deu em meio a varias revoluções e sempre onde existia liberdade de expressão, igualdade e/ou busca por ideais, ele estava lá.

Talvez pelo mundo hoje ser dominado por um sistema financeiro alienador, políticas que privilegiam minorias, por termos “poucos nas mãos de muitos” ou estarmos desacreditados na democracia, o cidadão venha sendo esquecido e até taxado de louco por querer desafiar a imposição posta pelos grandes. Ora, na história nunca se fez nada sozinho, um só não poderia exigir nada, buscar nada. A burguesia, por exemplo, levou anos para conseguir chegar a ter alguma influência, mesmo depois tendo se deixado levar pelo poder e acabando por tornar-se como as outras classes, dominadoras e opressivas. Conseguiu isso com a união dos seus membros, que cobraram sua parte nas decisões.

Trazendo para nossa realidade, algumas pessoas não se acham inseridas nesse modelo, pois pela sua posição social e uma série de valores, se vêem excluídas. Isso é culpa de muitos e não caberia relacionar uma lista daqueles que de alguma forma contribuíram para essa questão, mas é bom lembrar que hoje, legalmente, temos direito, “vez e voz” e cabe a cada um buscar seu direito e lembrar que cidadãos, ao contrário do que um dia se pensou, não são somente os que vivem na cidade e sim os que a todo momento procuram buscar seu espaço.

É preciso desmistificar a cabeça das pessoas de que só somos seres políticos de quatro em quatro anos, nas eleições, ou quando somos oprimidos e são esquecidos nossos direitos. Por que não usamos nossa revolta de certos momentos para buscar soluções concretas? É bom lembrar que um cidadão tem que ter direitos, deveres e participação para se construir uma democracia plena e justa, e assim talvez um dia possamos dizer: “Eu construí essa democracia e sou um cidadão”.
Postado por: Wherbty Ribeiro Nogueira – Aluno do Ponto de Cultura Patrimônio Vivo

  imprimir
enviar para um amigo 
voltar
 

2 Comentários

por Elistênio, em 03 de Outubro de 2009 as 19:32
Bem,gostei Wherbty do seu texto pois nos faz pensar se somos de fato verdadeiros cidadãos. Os nossos atos de coleguimos e de coletividade é que nos faz melhor definir isso. E temos a obrigação de mudarmos a democracia do nosso país apartir do que fazemos hoje. Parabéns!
por Neto Camorim, em 23 de Setembro de 2009 as 17:25
Seu texto, nos permite refletir, que de fato a cidadania é um processo constante,é que só coletivamente poderemos ampliar a nossa ainda pequena democracia em nosso país. Valeu pela brilhante contribuição. Abração!

Deixe seu comentário



Outros:
 
 
 
 
Sistema Maior de Comunicação
Rua Monsenhor Salviano Pinto, 507 – Centro CEP 63800-000 Quixeramobim – CE
Fones: (88) 3441.0263 / 3441.1178 Fax: (88) 3441.1209 - E - mail: contatomaior@sistemamaior.com.br
Copyright © 2006-2017  - Todos os direitos reservados